domingo, 1 de novembro de 2009

PLANO DE AULA LINGUAGEM MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
INSTITUTO DE EDUCAÇÃO
NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA
LICENCIATRA EM PEDAGOGIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL
POLO DE TERRA NOVA DO NORTE - MT
PLANO PARA PRÁTICA PEDAGÓGICA
“LINGUAGEM MUSICAL”
União do Sul – MT,
2009.

FABIANI BOLSON ZAMBONIN
LUCIANE VARELA DE MATIA
ROZANGELA SCHÄFFER SCABENI
SIMONNI CRISTINA SERRAGLIO

A MÚSICA E A CRIANÇA
Plano de atividades desenvolvido na área de linguagens na educação infantil V: Linguagem Artística apresentado ao curso de Licenciatura em Pedagogia para educação Infantil, do Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso sob a orientação acadêmica de Claudia Regina Armani, no município de União do Sul -MT.


Orientadora Acadêmica: Claudia Regina Armani

União do Sul – MT,
2009.

APRESENTAÇÃO
O presente plano de aula tem por finalidade, cumprir uma exigência do curso de Licenciatura em Pedagogia para educação Infantil, do Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, o plano de aula foi desenvolvido na área de linguagens na educação infantil V: Linguagem Artística. O objetivo do plano é possibilitar novas alternativas para melhoria do desempenho individual e coletivo de cada criança.
A diversidade de práticas pedagógicas que caracterizam o universo da educação infantil reflete diferentes concepções quanto ao sentimento e funções atribuídas ao movimento no cotidiano das creches, pré-escolas e instituições a afins. (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 pág.17)
A atividade desenvolvida foi na área de linguagem artística, para isso nos apoiamos em atividades que concretizem o objetivo, assim como desenvolver algumas habilidades dos alunos, como coordenação, atenção, concentração, agilidade, equilíbrio, auto-estima, autoconhecimento, expressão entre outras. A mesma foi escolhida para melhor atingir o objetivo e a idade em questão, o desenvolver da atividade ocorrerá em área coberta anexa ao berçário, será aplicada durante algumas horas consecutivas, com crianças de um a dois anos de idade do berçário da Creche Municipal Santo Anjo do Município de União do Sul, MT.

JUSTIFICATIVA
Este trabalho decorre da necessidade de estar apresentando alternativas para prática diferenciada em linguagem musical porque a música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio da organização e relacionamento expressivo entre o som e o silencio. A música esta presente em todas as culturas, nas mais diversas situações: festas e comemorações, rituais religiosos, manifestações físicas, publicas etc.
A integração entre os aspectos sensíveis, afetivos, estéticos e cognitivos, assim como a promoção de interação e comunicação social, conferem caráter significativo à linguagem musical. É uma das formas importantes de expressão humana, o que por si só justifica sua presença no contexto da educação infantil. (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 pág.45)
A criança, principalmente na primeira infância, desenvolve-se seguindo determinadas etapas evolutivas: ritmos diferentes se comparada à outra criança da mesma idade cronológica. Nos primeiros dois anos de vida é a fase em que a criança esta mais voltada a assimilar os estímulos do meio que o cerca, de acordo com as necessidades inerentes à sua idade. É capaz de executar movimentos de pressão que lhe facilitam a possibilidade de escrever ou manipular objetos e instrumentos. Toda essa herança biológica permite à criança agir sobre o meio, aprende certas relações analisar este meio e até modificá-lo. (A NOVA PRÉ-ESCOLA-ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL, 1999, pág.15)
Considerando que a criança se apropria de noções de conhecimento à medida que age, observa e se relaciona com o mundo, é enfrentando desafios e na troca constante de informações com outras crianças e com os adultos que ela se desenvolve.
Com o intuito de garantir a afetividade no desenvolvimento infantil, para a busca da autoconfiança, da livre expressão e da iniciativa. Portanto é necessário lembrar e valorizar na criança uma auto-imagem positiva, pelo trabalho de aceitação e convivência com as inúmeras diferenças que existentes, entre os mais variados grupos de suas relações sociais. Sendo assim considero importante trabalhar a linguagem musical com a criança, porque através dos movimentos as crianças irão despertar a sensibilidade e estimular a imaginação, concentração, coordenação, atenção.

OBJETIVO GERAL
Possibilitar as crianças diversas maneiras de desenvolver a expressão, os movimentos e os pensamentos através da linguagem musical e promover novas situações para o bom aprendizado.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Estimular a atenção, o raciocínio, auto-estima, autoconhecimento.
Desenvolver a sensibilidade, equilíbrio, concentração, coordenação motora fina e ampla dos movimentos.
· Fazer a criança perceber a importância da música no processo de socialização.
· Estimular a participação durante as atividades, e promover novas situações para o bom aprendizado.

METODOLOGIA

As crianças exploram, sentem, agem, refletem e elaboram sentidos de suas experiências. A partir daí constroem significações sobre como se faz, o que é, para que serve e sobre outros conhecimentos a respeito da linguagem musical. O trabalho com a música deve considerar, portanto, que ela é um meio de expressão e forma de conhecimento acessível aos bebês e crianças inclusive aquelas apresentem necessidades especiais. A linguagem musical é excelente meio para o desenvolvimento da expressão do equilíbrio, da auto-estima, e autoconhecimento, atenção, o raciocínio, a sensibilidade, a concentração, a coordenação, alem de poderoso meio de integração social. (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 pág.49).
A atividade foi desenvolvida na área de linguagem musical, para isso nos apoiamos em atividades que concretizem o objetivo, assim como desenvolvem algumas habilidades dos alunos, como coordenação, atenção, concentração, agilidade entre outras. A mesma foi escolhida para melhor atingir o objetivo e a idade em questão, o desenvolver da atividade ocorreu em área coberta anexa ao berçário, foi aplicada uma aula, com crianças de um a dois anos de idade do berçário da creche municipal Santo Anjo do Município de União do Sul, no período matutino. Os alunos desenvolveram a atividade proposta pelos professores no decorrer do trabalho. A aula foi avaliada, analisada, foram feitas anotações e registros em vídeo, e em relatório anexo, para assim melhor alcançar os objetivos propostos.

DESENVOLVIMENTO
O desenvolvimento da atividade se deu da seguinte forma, primeiramente houve por parte das professoras a confecção de alguns instrumentos feitos apartir de materiais recicláveis, feitos com latas vazias, tampinhas de garrafas, garrafas peti, lacres de latas, sementes e colheres, alguns materiais foram recortados e colados. No dia seguinte chegando no berçário da Creche Municipal Santo Anjo preparamos o espaço com tapete e almofadas para melhor desenvolver a atividade em questão. Logo chamamos as crianças para participarem da atividade, onde sentaram-se sobre o tapete e assim as professoras distribuíram os instrumentos e as colheres de forma aleatória, então começamos a estimular as crianças movimentando as colheres, os chocalhos feitos com as garrafas peti, e sementes, lacres ou tampinhas, com os pandeiros feitos com latas vazias, tudo isso como uma forma de aquecimento e também para que as crianças ganhem intimidade com os instrumentos, para que ai sim concretizem a atividade, onde o objetivo foi fazer com que as crianças internalizem e reproduzam vários sons com os instrumentos recicláveis. As professoras fazem algumas demonstrações, as crianças olham, riem, e passam a copiar aquele movimento, algumas com o auxilio da professora outros fazem sozinhos, em seguida as professoras começam a cantar alguns trechos de cantigas infantis com “pirulito que bate-bate”, “o sapo não lava o pé”, “parabéns pra você”, “a careca do vovô”, “fui morar numa casinha”, entre outras, tudo isso juntamente com os instrumentos recicláveis, sempre estimulando as crianças ao movimento, ritmo, coordenação motora. Podemos perceber que as crianças possuem uma grande iniciativa aos reflexos do meio em que se encontram, correspondem aos movimentos de sua faixa etária. Essa atividade proporcionou as crianças uma grande movimentação, desenvolveu a atenção aos movimentos da professora, a agilidade para realizá-los, a coordenação com as colheres, a sensibilidade, além da grande diversão que foi a atividade.

REFERENCIAL TEÓRICO
A música esta presente em diversas situações da vida humana. Existe musica para adormecer, musica para dançar, para comer, para brincar, etc. A criança ao mesmo tempo em que explora, aprende gradualmente a adequar seus gestos e movimentos às suas intenções e às demandas da realidade. Ao se pensar na aprendizagem devesse considerar o contato intuitivo e espontâneo com a expressão musical desde os primeiros anos de vida, é um importante ponto de partida para o processo de musicalização. Ouvir música, aprender uma canção, brincar de roda, realizar brinquedos rítmicos, jogos de mão etc., são atividades que despertam, estimulam e desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de atenderam a necessidade de expressão que passam pela esfera afetiva, estética e cognitiva. Aprender musica significa integrar experiência que envolvem a vivencia, a percepção e a reflexão, encaminhando-as para níveis cada vez mais elaborados.(REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 pág.51).

Gestos como o segurar de uma colher para comer ou uma xícara para beber, o lápis para marcar um a papel ou o rolar de uma bola, embora ainda não muito seguros, são exemplos dos progressos no plano da gestualidade, sensibilidade, coordenação motora.
O movimento humano é uma linguagem que permite à criança agir sobre o meio físico e atuar sobre o ambiente humano, leva a criança a expressar seus sentimentos e pensamentos. Na educação infantil, a educação psicomotora deve ser ministrada com diferenciação por faixa etária e sempre respeitar as diferenças individuais e o grau de maturidade das crianças.
O ambiente sonoro, assim como a presença da musica em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciam seu processo de musicalização de forma intuitiva. Adultos cantam melodias curtas, cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas com rimas e parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais jogos exercem. Encantados com o que ouvem, os bebês tentam imitar e responder, criando momentos significativos no desenvolvimento efetivo e cognitivo, responsável pela criação de vínculos tanto com os adultos quanto com a música. Nas interações que se estabelecem, eles constroem um repertorio que lhes permite iniciar uma forma de comunicação por meio de sons. . (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 pág.52).
A escuta de diferentes sons ( produzidos por brinquedos sonoros ou ruídos de próprio ambiente doméstico) também é fonte de observação e descobertas, provocando respostas. A audição de obras musicais enseja as mais diversas reações: os bebês podem manter-se atentos, tranqüilos ou agitados.

AVALIAÇÃO
A avaliação do movimento deve ser continua, levando em consideração os processos vivenciados pelas crianças, resultado de um trabalho intencional do professor. Deverá constituir-se em instrumento para a reorganizarão de objetivos, conteúdos procedimentos, atividades e como forma de acompanhar e conhecer cada criança e grupo. (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998 ).
Deve-se basear-se na observação cuidadosa do professor. O registro de suas observações sobre cada criança e sobre o grupo será um valioso instrumento de avaliação vocal “se cantam e como”, ao desenvolvimento rítmico e motor, a capacidade de imitação, de criação e de memorização musical. Sendo assim algumas avaliações se tornam extremamente necessárias como:
Fazer observação do desenvolvimento de cada um nas atividades
Observar a praticidade ou a dificuldade individual e coletiva.
Mediar a execução de alguns movimentos e perceber se a ou não a aceitação por parte das crianças.
Analisar a participação das crianças e o relacionamento coletivo.
Registrar qualquer eventualidade que possa servir de estratégia para um próximo trabalho.
Constatar a organização e se houve exploração dos materiais oferecidos.
Verificar se os movimentos realizados pelas crianças, estão de acordo com sua faixa etária assim como a fase em que se encontra.

REFERENCIAS BIBLIOGRAFIAS


A NOVA PRÉ-ESCOLA - Etapas DO Desenvolvimento Infantil, 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a educação Infantil, 1998.

SOUZA, Cássia Virginia Coelho de. Linguagem na Educação Infantil V: Linguagens Artísticas. Cuiabá: Ed.UFMT, 2008

Nenhum comentário:

Postar um comentário